terça-feira, 20 de novembro de 2018

ATOS PROFÉTICOS HOJE



Ap. Jota Moura

Que deveras te abençoarei, e grandissima­mente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos”. Gênesis 22.17.

Ato profético não é misticismo, como alguns acham. Como o nome já sugere, são ações re­alizadas por profetas de Deus com determina­do sentido profético através de atos, palavras e símbolos. São sinais que apontam para o Reino Espiritual e que têm consequências no reino físico. Os atos proféticos devem ser precedidos por atos de consagração, jejum, oração e ma­peamento espiritual da cidade ou região onde os mesmos serão feitos.
O inimigo do império das trevas também usa a tática de demarcação, geralmente com nomes e esculturas dedicadas a entidades do mal. O inimigo busca demarcar tomando lugares altos e estratégicos, geralmente em posição triangu­lar, colocando em cada ponto uma demarcação espiritual.
Definimos Ato Profético como uma ação ex­ecutada por um profeta ou enviado de Deus, in­vestido com a devida autoridade, em um local, tempo e modo especificados pelo Espírito San­to, com o fim de trazer à terra a liberação do Seu poder, sobre determinada circunstância em que o próprio Deus já tenha revelado Sua perfeita e soberana vontade.

1. ATOS PROFÉTICOS NA BÍBLIA
Em Gn. 3, Adão e Eva se cobrem de folha de figueira, depois Deus os veste com pele de cordeiro, este cordeiro foi morto, sangue foi derramado, o derramar do sangue foi um ato profético da redenção através do sangue (veja Hb 9:22). Este foi o primeiro ato profético exe­cutado, realizado pelo próprio Deus.
No Antigo Testamento - Deus manda marcar com sangue os umbrais das portas dos hebreus no Egito (Ex 12:7). Jacó usa varas simbóli­cas, devidamente adornadas para a procriação próspera de seu gado (Gn. 30:39). Eliseu pede vasilhas vazias para operar o milagre da mul­tiplicação do azeite (2ª Rs 4). Gideão coloca novelos de lã pedindo a Deus confirmação para suas ações (Jz 6). Eliseu usa um pedaço de pau para fazer flutuar o machado perdido (2ª Rs 6:6). Isaías manda o rei Acaz colocar emplas­to de pasta de figos sob sua chaga para a cura (2ª Rs 20:7). O pisar com a planta dos pés para conquistar territórios (Dt 11:24-25; Js 1:3 e Jz 3:13). Uso de bandeiras que demarcam territóri­os conquistados (Is 62:10 e Nm 1:52). Toque do Shofar para a derrubada de principados (Js 6:4).
       Existem ainda vários tipos de Atos Proféticos selados com a palavra viva, como: profetizar contra os montes (Ez 6.1-3); bater com as mãos e os pés (Ez 6.11); gritar e uivar (Ez 21.12); bat­er palmas (Ez 21.14-17); dobrar, virar ou girar uma espada (Ez 21.14b); gravar marcos nas en­tradas da cidade (Ez 21.19); enterrar e desenter­rar cintos (Jr 13.1-11).
No Novo Testamento - Jesus cospe no chão, pega o lodo e passa nos olhos do cego para curá-lo. (Jo 9:6). O próprio batismo é um ato profético no momento em que mergulhamos na água para arrependimento (Mc 10:39). O ato de imposição de mãos para curar (Mc. 16.18) e para ordenação (At 6:6). Unção com óleo para cura dos enfermos (Tg 5:14-16 e Is 10:27). Lenços e roupas para a cura de enfermos (At 19:11-12).
E centenas de outros atos proféticos descritos em toda a Bíblia, inclusive realizados por Jesus como vimos, e, o maior de todos os atos: sua morte numa… CRUZ!

2. ATOS PROFÉTICOS DE GUERRA
Outros Atos Proféticos utilizados em forma de símbolos em batalhas territoriais, que geraram vitórias espetaculares e sinais extraordinários: permanecer com as mãos erguidas (Êx 17.8- 16) é um sinal militar duplo, que determina o início da guerra bem como o avanço das tropas; golpear a água com manto (2 Rs 2.8,13-14); lib­erar palavras de ordem em obediência ao Sen­hor (Js 10.12-15); restaurar o altar e pedir fogo do céu para vencer confrontos (1 Rs 18.20-46); estender a vara (cajado) para fender o mar (Êx 14.15-21); quebrar cântaros e tocar trombetas (Jz 7.16-25); marchar gritando em círculos (Js 6.1-20); dar voltas nos quatro cantos da cidade, contar suas torres (lugares fortes) e observar bem suas defesas (Sl 48.11-12); pessoas como símbolos proféticos, por exemplo, noivo e noi­va (Os 1); deitar na terra confessando pecados e profetizando (Ez 4.4-6); tocar com a vara na rocha e produzir água (Êx 17.6); profetizar no vale sobre ossos secos (Ez 37).

3. ATOS PROFÉTICOS DE CONQUISTA
Eis alguns exemplos de ferramentas usadas em Atos Proféticos: maquetes de lugares ou cidades, ungindo e profetizando (Ez 4.1-4); ar­vorar bandeiras como símbolos de uma nação ou região (Is 13.2, 18.3); edificar altares de pedras e tomar posse do território inimigo (Gn 12.7-8); proclamar a Palavra aos montes, vales, pedras, árvores ou animais (Ez 36.1-15); lançar ou espalhar sal em pontos estratégicos para fir­mar pactos (Lv 2.13; 2 Re 2.21-22; 2 Cr 13.5); derramar azeite de oliva sobre lugares específ­icos (Lv 8); libação, que é o derramamento de uma pequena porção de vinho (Gn 35.12-14); pedras (Jr 43.9-13); arco e flechas, facas, espa­das (2 Re 13.14-19), flechas atiradas na direção do território inimigo equivalem a declaração de guerra; danças proféticas (Êx 16.20-21; 2 Sm 6.14-16); toques da shofar (Js 6.2-16); grãos (símbolo do fruto, colheita, a v i v a m e n t o ) . Devem ser lança­dos dos altos dos montes visando a colheita d’al­mas (Sl 72.16); éfode (usado para profetizar); hastear bandeiras ou marchar com estandartes representando as tribos de Israel, nações ou po­vos; mantos ou Fitas (símbolos representativos da investidura divina); estacas (para ferir a terra ou fincá-las para assinalá-la).

4. INTERCESSÃO PROFÉTICA
É adentrar no Santo dos santos. É ir ao terceiro céu e ver o que ocorre no mundo espiritual, traz­er a intercessão do coração de Deus para o pla­no físico. É conhecer a vontade clara de Deus e clamar por ela com o ardor de um coração aflito e sedento por mais e mais de Deus. É buscar a vontade do Pai custe o que custar. É chorar o choro do Espírito e ser quebrantado por um forte anseio de trazer o Reino de Deus a terra.
Não é uma simples oração, mas uma vida de oração! Constantemente estar ligado nos céus, estar conectado no trono e ver e ouvir coisas inefáveis e indizíveis. A intercessão profética é capaz de trazer os céus a terra e de levar a terra aos céus!
Todas as cidades têm demarcadores espiri­tuais, marcos que são rastros de dominação do inimigo, templos com suas imagens de idolatria. Observamos miséria e sujeira em umas, em out­ras muito suicídio, violência, pedofilia, assassi­natos e por ai vai, todas dominadas por atuações malignas.
Os atos proféticos determinam a retirada des­tas demarcações, a nível espiritual em princípio, até chegar-se ao nível visível também.
Uma cidade restaurada derruba seus postes-ído­los, assim como Gideão, cuja primeira incum­bência após ser ungido por Deus como juiz, der­rubou o poste ídolo a baal que existia em local estratégico em sua cidade (Jz. 6:25-32). Inter­essante que para isso enfrentou seu próprio pai.
Num período de tempo em que a igreja dormiu, o inimigo tratou de manchar as cidades, demarcá-las com suas ações malignas.
Hoje a igreja cristã brasileira recebeu novo entendimento espiritual de que é hora de red­imir os territórios tomados pelo inimigo com atos que profetizem a queda de toda obra má que escraviza cidades e países onde a luz do Evangelho de Cristo ainda não reina. Mediante a fé e pureza do coração, minha ação profética tem alto valor no Reino do Espírito que se ex­pressa no mundo físico, experimente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANDE NO CAMINHO DO REINO

Ap. Jota Moura  “E este evangelho do reino será prega­do no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.”...